sábado, maio 23, 2009

que horror

(i) os horrores estão diferentes. 3 anos passaram, os rapazes cresceram, e pelo menos de aparências, agora parecem o vocalista dos tokio hotel. enquanto antes eram um horror rock'n'roll para muito boa gente, agora mudaram de estilo, viva os smokings brancos!, e de música, viva os anos 80!
(ii) explicação para este "primary colours", não há. talvez a tournée nos estados unidos com os brmc? se calhar viram o control? ou então ouvem música cronologicamente, entretanto chegaram ao final da década de 70, e agora entraram nos anos 80 e descobriram o enforcado?
(iii) eu fiquei bastante surpreso aquando da primeira audição. como que me senti traído, pelas simples razões de ter bastante apreço pelo garage ou lo-fi (ou lá como o queiram chamar) como género musical e por depositar grandes esperanças nos horrores, tendo em conta a qualidade do primeiro disco. vejam, e.g. thunderclaps, uma das músicas que melhor ilustra este meu ponto de vista sobre o anterior "strange house" (e que tem uma linha de baixo brutal), ou então aqui em baixo numa antiga rubrica rock 'n' roll com o horroroso, curto e simples sheena is a parasite.
(iv) do ponto de vista comercial, percebe-se a mudança. a qualidade manteve-se mas originalidade perdeu-se: agora são horrorosamente uma colagem-quase-copia de estilos e bandas, havendo de quase tudo neste disco. aqui ficam uns temas:
#1 mirror's image
#3 who can say
#4 do you remember (esta parece mesmo brmc)
#5 new ice age
#8 i can't control myself (the doors+brian jonestown massacre?)
#11 sea within a sea (tambem o krautrock?)

1 adendas

Blogger filipa disse...

descobriram "o enforcado"? jesus...
eu cá gosto bem deste disquinho.
:P

26/5/09 2:57 da tarde