sábado, junho 23, 2007

pequeno ajuste antes das ferias

as minhas ferias em portugal comecam ja na segunda feira. tres semanas de praia, bairro alto e comida da mama. pena por faltar ao quatro de julho, mas o super bock super rock (claramente com todo o potencial para se tornar no evento do verao de 2007) compensa. entrentanto, entraram no meu querido ipod nano algumas novidades fresquinhas e bastante requisitadas e alguns classicos do passado:

para isso, tiveram de abandonar o barco:

andrew bird
, armchair apocrypha, disco interessante, mas a nao chegar ao muito bom. algumas musicas muito boas, outras menos. relevo para #2 imitosis, igualzinha a ala dos namorados com a catarina furtado e #3 heretics com os violinos a tresandar a rufus. as restantes num registo vocal muito colado. de uma certa maneira, bonito e com sensibilidade, mas nada de novo por aqui. #11 spare-ohs com uma segunda voz feminina e claramente a que eu gosto mais;
bill callahan, woke on a whaleheart, foi a sua prestacao ao vivo antes da joanna que me fez ouvir extensivamente e gostar bastante deste disco. confesso que nunca prestei muita atencao aos smog, talvez mal. grande sorte a dele com a miuda que arranjou. musicalmente acaba por ser sempre a mesma coisa, o que obviamente nao e mau mas tambem nao e bom. #3 diamond dancer e #4 sycamore os melhores momentos do disco;
black rebel motorcylce club, baby 81, nenhuma supresa, mais do mesmo, o melhor de tudo mantendo a qualidade e satisfazendo as espectativas. uma das minhas bandas favoritas de todo o sempre, o disco e bastante forte como um todo, funciona como que um regresso as origens rock'n'roll, e ja fiz aqui um post muito facil sobre este disco. mais um disco incontornavel tanto dos black rebel motorcycle club como de 2007;
the broken west, i cant go on i'll go on, nada de novo por aqui. disco apenas razoavel. pop californiano normal de letras lamechas e melodias faceis que faz sentir bem, algumas baterias interessantes, no geral o que a mim me faz lembrar e ocean color scene (que horror). ouvi apenas algumas vezes, talvez demais. #8 hale sunrise o unico momento de relevo em todo o disco;
editors, an end has a start, seca total, musicas semelhantes de baralhar e voltar a dar e ficar com o mesmo jogo, mas quando este e mau. e uma copia ranhosa dos interpol no registo vocal que chega a irritar. tentam tambem misturar assim o balanco dancante tao na moda nos dias de hoje, mas falham redondamente. as letras sao uma bosta, os refroes totalmente basicos e os efeitos de guitarra um verdadeiro plagio de nao sei quantos discos lancados nos ultimos anos. uma verdadeira desilusao, talvez ate pior que os killers ou os bravery ou os she wants revenge, nem que apenas seja por ser feito a posteriori. tanto hype, tantos posts de blogues e depois vai-se a ver, um horror. o anterior passou-me ao lado e agora penso que ainda bem;
explosions in the sky, all of a sudden i miss everyone, ja gostei mais dos explosions in the sky. o que talvez aconteca e que tambem ja gostei mais deste genero musical. acabei por nao ouvir com muitas vezes nem a prestar a devida atencao;
husky rescue, ghost is not real, banda calminha pop de caracteristicas electronicas da filandia que em certos momentos faz lembrar o 10,000hz legend. contam com uma vocalista de voz de anjo, a qual vejo agora que tambem aparenta tais tracos. nao tem asas, porque mesmo com elas, nao conseguiria voar (ver acima). #10 caravan e o exemplo perfeito disso (da voz de anjo). o disco no geral e bastante bom, mas nao e nenhuma obra prima. foi-se tornando cada vez melhor a medida que foi sendo mais ouvido. #3, #4, e #5 blueberry tree com tres partes, o melhor momento do disco. talvez merecessem aqui um post, mas ja esta acima a voz de anjo. voltam no final do ano;
kings of leon, because of the times, disco espectacular, os kings of leon continuam a dar-lhe. desta vez com mais relevo nas melodias vocais, talvez o mano cantor esteja a aprender algo e a ganhar qualidades. #1 knocked up abre muito bem o disco, que na realidade e um desfile de todas boas. na minha opiniao talvez nao tao bom quanto o anterior. ao vivo sao tal e qual. eu ja vi, mas apenas depois soube que eram irmaos e um primo. engracado e tentar descobrir qual e o primo;
lonely, dear, lonely, noir, nao sei porque mas nao me soou assim la muito bem e ainda para mais a #1 i am john e claramente a minha musica. nao digo que o disco seja mau, ja vi por exemplo um post no kraak fm a dizer bastante bem e facilmente se percebe. do um ponto de vista tecnico, e bastante bom: musica complexa e rigidamente estratificada, onde uma vasta panoplia de instrumentos desde guitarrinhas ate xilofonezinhos entram e saem de uma forma constante e bem construida (exemplo perfeito disso, a #7 carry a stone). para alem disso, o senhor tem um falseto bastante poderoso, o que nao e para qualquer um;
panda bear, person pitch, na minha opiniao, o melhor do ano ate agora. contou com extensivas audicoes. como ja o amigo hugo me recomendou, tenho que ir rever o feels ;
people press play, people press play, uma bosta, ouvi uma vez e bastou. nada de especial por aqui;
stars of the lid, and their refinement of the decline, seca total, ainda para mais e duplo. ouvi uma vez durante uma manha inteira. optimo para quando se esta em sono profundo ;
state bird, marching thru the wilderness, disco relativamente interessante. pop perfeitamente normal, com um vocalista de voz nasalada e pronuncia nao sei donde carregada e uma vocalista de segundo plano que talvez devesse cantar mais. usam um theremin de forma algo interessante em certas musicas e tambem usam imensos intrumentos desde trompetes, flautas, banjos e tal. #4 stop my cryin' and start the pleasin' talvez a melhor, mas no fundo as restantes acabam por ir bater sempre na mesma tecla;
va, the upsetter selection, a lee perry jukebox, compilacao infinita (quarenta e tal musicas) de raggae, o som do verao. fica ainda o prince buster e a nova da studio one. esta do lee perry na realidade ja saiu ha uma ou duas semanas atras quando foi necessario o meu querido ipod nano servir de flashdrive. talvez com demasiado relevo para as suas proprias musicas, mesmo assim conta com bons momentos. deu para conhecer mais uns quantos e para preparar o verao de 2007;

8 adendas

Blogger lia disse...

«relevo para #2 imitosis, igualzinha a ala dos namorados com a catarina furtado»

E é aqui que eu pondero deixar de ler este blogue...

:p

25/6/07 7:41 da manhã  
Blogger joao disse...

i) corrigo: onde se le "...com a catarina furtado", dever-se-ia ler "...com a sara tavares". felizmente, nao sou fa. infelizmente, sofri da sobredosagem generalizada da tal musica
ii) justifico-me: depois de ja tempo demais fora, as diferencas entre figuras publicas portuguesas que nao passam o teste de badajoz comecam a desvanecer-se

25/6/07 9:21 da manhã  
Blogger Strumer disse...

Sei que devo ser dos poucos a dizer isto mas...panda bear é altamente aborrecido! Reconheço-lhe mérito e algum talento..mas a verdade é que por agora desisti do album. talvez um dia...;)

25/6/07 2:09 da tarde  
Blogger lia disse...

Acho que a Cat Furtado também entrava na música, como autora de letra.

Não vejo é semelhança com o Imitosis - mas adiante : )

26/6/07 12:08 da tarde  
Blogger Joao disse...

quanto a algumas das saídas .. 100% de acordo.
das entradas? é sempre bom rever/ouvir pussy galore. para ligar a corrente electrica à cabeça e dar ritmo às ideias.
metric ainda nao ouvi com atençao.
bright eyes- mas o puto nao pára de gravar discos??

27/6/07 12:16 da tarde  
Blogger joao disse...

pois eu acho que e o arpejo logo do principio. a entrada do refrao tambem tem algumas semelhancas. em algumas partes quase que da para fundir as duas musicas

27/6/07 8:19 da tarde  
Blogger filipa disse...

as duas musicas fundem-se muito bem. mas onde e que ja ouvi isto :P

30/6/07 9:33 da manhã  
Blogger JORGE disse...

Devo discordar, veemente, quanto à apreciação feita ao álbum do A Bird. Excelente! =P

24/8/07 11:13 da manhã